AIAG

Harmonização AIAG com VDA

Tags:

Nova Edição FMEA: Harmonização AIAG com VDA

No mês de setembro de 2017, o AIAG (Automotive International Action Group) disponibilizou material referente a um workshop de harmonização entre as suas abordagens e as do VDA (Verband der Automobilindustrie) diante do FMEA.

O comitê quer desenvolver um único manual AIAG – VDA FMEA com direitos autorais, que definam uma metodologia melhorada, que estará alinhada com SAE J1739. O objetivo é explorar o melhor do AIAG e VDA, fazendo com que os processos combinem-se para que se atenda aos requisitos de ambos os grupos da indústria.

A FMEA (Failure Modes and Effects Analysis) ou Análise dos Modos de Falha e seus Efeitos, é uma ferramenta preventiva de risco. Sendo um documento vivo, deve estar sempre em constante atualização, interagindo com os planejamentos da produção e da qualidade.

Abaixo 4 novidades que serão encontradas na nova edição do FMEA:

1. Abordagem em Seis Etapas:
Recomenda-se que o FMEA deve ser realizado em seis etapas para alcançar boa qualidade, confiabilidade, segurança nos produtos e processos. Estes seis passos são aplicáveis ao design e ao processo FMEA’s.

AIAG

Fonte: Departamento de Marketing Cyber1

2. Forma de Preenchimento do FMEA Report:

Atual – “Preencha os espaços em branco”. No manual atual, é explicado o que é cada coluna, fazendo com que a equipe preencha as células de cada linha na planilha com informações. É mais lento para equipes multifuncionais pois gera repetições sistemáticas de cada etapa.

Novo – “Método de análise por etapas”. O novo manual explicará o objetivo de cada etapa passo a passo. Isso permitirá que a equipe tome em consideração itens que podem não ter sido considerados usando o fluxo de preenchimento. Esse formato mais rápido para equipes multifuncionais devido à agenda focada em uma tarefa por vez.

3. Alteração das Tabelas de Pontuação:

Tabelas de Severidade: Critérios alinhados à SAEJ1739 e adição das colunas – Impacto no seu processo atual e posterior e impacto no consumidor.

Tabelas de Ocorrência: Revisão dos controles preventivos como critérios anteriores à análise da taxa de ocorrência da causa da falha.

Tabelas de Detecção: Os índices de ocorrência agora consideram a capacidade de detecção e o tempo necessário à detecção como critérios de análise da pontuação. Foi adicionada a categoria “Tipo de Detecção” que descreve os mecanismos típicos de controle.

4. Uso do NPR para Ações Recomendadas:

O manual atual recomenda que o NPR não deve ser o primeiro critério para tomada de ações recomendadas, sendo necessária a priorização com base nos índices de severidade, ocorrência e detecção. Dada a dificuldade de garantir a correta interpretação dessa recomendação, o novo manual irá introduzir o conceito de Prioridade da Ação (Action Priority – AP).

AIAG

Fonte: Departamento de Marketing Cyber1

A coluna Prioridade da Ação estabelece um critério com base na combinação da severidade, ocorrência e detecção para a priorização das ações recomendadas.

No novo manual foi criada uma tabela, baseada em lógica que atribui a classificação Alta, Média e Baixa. Cobre 1000 combinações possíveis de pontuações dos três índices. Com base nessa classificação, deverá ser orientado o prazo das ações e a robustez.

A nova edição do manual do FMEA (prevista para maio de 2018) estrutura de forma mais detalhada a construção da abordagem funcional, garantindo maior aprofundamento e deixando menos margens para consideração de todos os potenciais modos de falha e direcionamento das devidas ações recomendadas.

Obtenha agora uma solução online, atualizada, flexível e customizável para a realização dos seus estudos do FMEA.

 

Veja também

Produção de veículos tem o melhor janeiro desde 2014

FMEA

apqpcom