Uma Visão do APQP na indústria automotiva

Tags:

O estímulo para desenvolver um projeto de capacitação em APQP nasceu da dificuldade das empresas em acompanhar os projetos / desenvolvimentos conduzidos pelas empresas. A dificuldade de gerenciar o APQP é diretamente proporcional ao produto e sua complexidade para implementá-lo na empresa. É complicado estabelecer ações e implementar a cada uma das fases do APQP. Independente do tamanho da equipe sempre haverá a sensação da falta de recursos seja pelas próprias características do produto ou pela complexidade dos mesmos, seja pela deficiência técnica da equipe ou de algum membro, seja pela variação constante dos prazos.


Nas auditorias, tanto internas como de clientes e certificadoras, e especialmente das últimas ocorrem inúmeras não-conformidades e, fica a sensação que os auditores estão na contramão dos esforços estabelecidos pela equipe. Afinal trabalhou-se tanto, o projeto foi implantado (às vezes a qualquer custo) e os clientes estão recebendo o produto em dia. A falta de coerência das informações entre as atividades e fases do APQP é uma das principais causas de não-conformidade. Ações são estabelecidas, atividades programadas e ocorrendo ou não, não são realizados o fechamento com o documento de origem. Outra não-conformidade muito comum é a desorganização da documentação, dificultando a verificação dos resultados. Ambos os casos ocorrem porque é muito comum a certa altura estabelecer-se o caráter de força-tarefa para concluir os projetos.

O volume de documentos gerados num projeto de APQP torna obrigatório, podemos assim dizer, a organização especial do APQP em pastas. Durante a condução do APQP obviamente há um acompanhamento oriundo do gerenciamento dos projetos. Mas é difícil saber se esta tudo Ok, porque é freqüente, as empresas precisarem deslocar os recursos de monitoramento para a realização das atividades.

Permissão: Portal Toque de Qualidade

apqpcom